colaborador deixa a empresa depois de passar por um processo de demissão humanizada

Benefícios da demissão humanizada. Veja dois exemplos práticos

Em meio à crise sanitária e econômica que afeta o planeta e provoca diversas transformações na sociedade e no mundo do trabalho, as áreas de Recursos Humanos não param de nos surpreender positivamente. Em razão da pandemia, muitos negócios foram obrigados a realizar cortes profundos no seu capital humano. Neste aspecto, algumas empresas têm adotado a demissão humanizada, tornando o desligamento mais digno e menos sofrido.

Neste post vamos apresentar dois exemplos de empresas que foram obrigadas e reduzir a folha de pagamento, mas optaram por seguir o caminho da demissão humanizada. Ambos exemplos mostram como é possível reduzir o abalo psicológico e oferecer apoio para profissionais desligados. Assim, esses profissionais têm mais chances de encontrar uma nova oportunidade e seguir com a carreira. Mas antes, vamos falar sobre o conceito da demissão humanizada.

O que é a demissão humanizada

Já falamos sobre como realizar um procedimento de demissão efetivo. Mas quando nos referimos à demissão humanizada, abordamos práticas que vão trazer transparência, respeito e mais dignidade ao desligamento. Portanto, trata-se de um procedimento bem planejado e executado de forma fluida, para que o colaborador seja comunicado de maneira assertiva sobre os reais motivos da demissão e, ainda, sinta-se valorizado e seguro.

Ao final de um processo de demissão humanizada, é importante que o ex-funcionário sinta-se amparado pela empresa no sentido de ter ferramentas que possam facilitar a continuidade da sua jornada profissional. É importante deixar claro que este conceito vai além dos direitos previstos por lei.

Principais benefícios da demissão humanizada

Fica claro que para o profissional desligado o principal benefício de passar por um processo humanizado é, dependendo da empresa, a segurança e o incentivo para dar continuidade na sua carreira. Esses incentivos serão tratados mais à frente.

Para a empresa, a demissão humanizada reflete diretamente no valor da marca e na maneira como essa marca é vista pelo mercado. Assim, os benefícios são muitos. Listamos os mais relevantes:

Marca empregadora

Oferecer apoio a colaboradores desligados é uma maneira de melhorar o employer branding no mercado e atrair os olhares de bons profissionais

Advogados da marca

Um ex-colaborador que passa por um processo de demissão humanizada provavelmente vai valorizar a empresa e se tornar um advogado da marca

Clima organizacional

Quando uma empresa pratica demissões humanizadas ela dá um exemplo positivo para a sua equipe, gera mais segurança e promove o convívio mais saudável entre os colaboradores remanescentes

Redução de riscos

Processos bem elaborados e executados deste modelo de desligamento são muito transparentes, precisos e amigáveis. Essas características acabam por reduzir muito os riscos de processos trabalhistas

Empresa sustentável

A prática da demissão humanizada aumenta a percepção de sustentabilidade por parte dos públicos de interesse da empresa.

Dois exemplos durante a Covid19

Sejamos francos: demitir funcionários nunca é uma tarefa agradável. Por isso também, períodos de crise tiram o sono de gestores de negócios e de Recursos Humanos. Nos dois exemplos a seguir, empresas tiveram que realizar cortes volumosos e sua força de trabalho. Ainda assim, fizeram todo o esforço para conduzir os processos da forma mais humanizada possível. Entenda como:

Como a Stone desligou 1,3 mil colaboradores em plena pandemia

Em meados de maio, durante uma videoconferência interna, a empresa de meios de pagamento anunciou que faria um corte de 20% da sua força de trabalho. O anúncio foi feito pelo próprio CEO, Tiago Piau, esclarecendo que era uma medida em resposta à crise provocada pelo Covid19.

Cada um dos 1,3 mil funcionários desligados foi contactado individualmente após o anúncio. Além de todos os direitos preservados, a empresa ofereceu apoio psicológico e manteve planos de saúde e de auxílio alimentação para os profissionais desligados por um período de 4 meses.

A Stone ofereceu ainda computadores, celulares, contas de Linkedin e auxílio financeiro de acordo com o tempo de casa. Segundo Piau, a decisão sobre quem deixaria a companhia foi tomada com calma e com base nos pilares que ancoram a cultura da Stone: meritocracia, busca pela excelência e carinho pelas pessoas. “Vamos preservar aqueles com melhor desempenho em cada área, consolidar estruturas e melhorar processos. Para quem está saindo, vamos oferecer todo o apoio e cuidado”, declarou.

banner do projeto reconecte convidando o leitor para acessar a pesquisa grauitamente

Pensando no futuro, a Rock Content precisou se despedir de 20% dos colaboradores

No início de abril deste ano, o CEO da Rock Content, Diego Gomes, publicou uma mensagem no blog da empresa de conteúdo justificando a necessidade de fazer cortes. Mas a mensagem foi muito além dos motivos que levaram a empresa a desligar colaboradores durante a crise.

Com transparência e objetividade, a mensagem demonstra profundo respeito pelos Rocker’s (como são chamados os colaboradores), relembra a trajetória de 2019 e apresenta os planos traçados para o próximo período. Em seguida, diz como a pandemia atingiu as previsões do negócio e como a empresa precisou se adaptar para garantir a sua sustentabilidade.

Em seguida, Diego lista as ações que serão tomadas para que os colaboradores desligados tenham suporte para atravessar o momento. Entre eles: manutenção do plano de saúde por seis meses, acesso vitalício à universidade corporativa da empresa, inclusão em banco de dados prioritário para futuras contratações, atividades para auxílio sobre desenvolvimento de carreira, entre outros.

A empresa se comprometeu ainda a realizar a campanha #hirearocker, com o objetivo de promover a contratação dos profissionais desligados no mercado. A iniciativa duraria um ano ou até que todos os colaboradores estivessem reposicionados.

Você conhece outros exemplos?

Temos a convicção de que existem muitos outros exemplos por aí de empresas que estão buscando fazer da demissão humanizada uma prática, independentemente da situação de crise. Você com certeza deve conhecer outras ações neste sentido. Deixe a sua contribuição aí nos comentários e compartilhe esse post com a sua rede.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *