Como uma política de compliance evita crimes do colarinho branco?

Ouve-se “tom no topo”, mas é fundamental que a mesma nota também seja atingida na gerência intermediária. Os funcionários veem e discutem tudo e, se algum gerente não agir de maneira ética, seus subordinados também descartarão a ética como uma vitrine. 

Por isso, a ideia é implementar a política de compliance. Ela envolve maior comprometimento com a organização e entre os colaboradores independentemente do seu cargo. Assim, os profissionais conseguem manter o alto desempenho nos padrões éticos da empresa.

Continue lendo o artigo para entender melhor como aplicar essa estratégia em sua empresa e para descobrir como conseguir fugir da ameaça do crime de colarinho branco. Confira!

Qual o conceito de compliance?

O verbo “obedecer” significa estar em conformidade com uma regra, o que explica grande parte do conceito da palavra. O significado da palavra compliance está relacionado à conduta de uma empresa e à sua conformidade com as regras dos órgãos reguladores.

Qual o seu principal objetivo?

Ser capaz de dizer que uma empresa está em conformidade estratégica é, por si só, um objetivo empresarial fundamental. Isso significa que existe um nível que vem crescendo de excelência administrativa e transparência. 

Estar em conformidade indica que gestores e times estão no controle dos processos e procedimentos executados e implementados com eficiência e conformidade comercial, política, trabalhista, comportamental e contratual.

O que são crimes de colarinho branco e seus malefícios?

Um crime não violento cometido por funcionários no curso de sua ocupação é a definição de “crime de colarinho branco”. Tais crimes incluem fraude, suborno, esquemas Ponzi, peculato, abuso de informação privilegiada, cibercrime, violação de propriedade intelectual, extorsão, lavagem de dinheiro, roubo de identidade e falsificação etc.

Vamos ver um pouco dos malefícios dessa prática errônea que afeta tantas empresas. Assim, se a sua companhia estiver sob investigação, é vital que você coopere totalmente; caso contrário, poderá enfrentar uma acusação de obstrução da justiça. Ainda assim, a primeira coisa que você deve fazer é entrar em contato com um advogado de crime de colarinho branco para ajudá-lo no processo.

As possíveis multas e os honorários legais não são as únicas consequências financeiras que uma empresa pode enfrentar como resultado de um crime de colarinho branco. Roubo, peculato, extorsão e outros crimes de colarinho branco também têm impactos diretos nos lucros gerais. De fato, é estimado que somente a fraude reduz os lucros anuais das empresas médias em, aproximadamente, 5%.

Outro ponto: se sua empresa for acusada de um crime, as informações rapidamente se tornarão de conhecimento público. Mesmo que a acusação seja devida às ações de um único funcionário, o escândalo resultante das acusações e das multas criminais poderia ser o suficiente para arruinar a reputação da sua empresa para sempre.

Como o compliance pode evitar esse delito?

Um código de conduta bem definido é essencial para o seu programa de conformidade corporativa. Ele ajuda a definir o objetivo do programa e estabelece as expectativas de comportamento.

O código deve estar em conformidade corporativa e definir quem é responsável pelo gerenciamento do programa e como os funcionários devem denunciar uma má conduta. Ademais, deve declarar claramente que os funcionários que violarem o código de conduta serão disciplinados. Vejamos abaixo alguns métodos!

Controle de processos

O controle de processos também é uma solução dedicada para dar suporte à conformidade com novas leis relacionadas ao Regulamento Geral de Proteção de Dados (GDPR), porque:

  • fornece informações contínuas sobre o status dos controles, ajudando, assim, a atender aos requisitos do GDPR;
  • executa um monitoramento automatizado, baseado em exceção, de dados confidenciais em sistemas ERP;
  • controla documentos e políticas centralmente;
  • mapeia os principais regulamentos e o seu impacto na organização;
  • realiza avaliações periódicas de risco em relação aos dados pessoais para determinar o escopo e as estratégias de teste;
  • monitora os limites dos indicadores-chave para dados pessoais e a eficácia de corresponder às respostas aos riscos.

Maior transparência no relacionamento

A transparência deve estar fortemente envolvida na luta contra o crime de colarinho branco. Reservar um tempo para revisar os controles e corrigir os pontos fracos é essencial para melhorar seu sistema de detecção de fraudes. Você não deseja enviar a mensagem de que não se importa ou de que cometer um crime em sua organização é simples.

Análise de risco por meio de auditoria

O compliance corporativo está relacionado ao gerenciamento de riscos. Portanto, para estabelecer um programa eficaz, você precisa saber quais áreas de conformidade representam os maiores riscos para a sua organização.

Depois de reconhecer essas áreas, você poderá concentrar seus recursos para resolvê-las. Lembre-se de realizar avaliações regularmente, pois os riscos estão sempre mudando.

É sugerida a realização de um processo formal de avaliação para analisar alguns fatores, incluindo:

  • resultados da auditoria;
  • litígios recentes;
  • reclamações de conformidade;
  • reivindicações de funcionários;
  • tendências de aplicação da indústria;
  • políticas em cada área de risco específica.

Em resumo, a chave para afastar os fraudadores da sua organização é manter uma postura vigilante “antifraude”, de modo que todos os seus negócios estejam cientes e apoiem. Se você suspeitar de fraude na sua empresa, seus consultores financeiros e jurídicos podem ajudar a reforçar seus controles internos e investigar qualquer atividade suspeita.

Gostou do post sobre política de compliance? Então, não deixe de conhecer melhor como criar um bom clima organizacional conferindo nosso outro conteúdo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *