Entenda por que investir no desenvolvimento profissional do funcionário

Muitos gestores podem se perguntar se o desenvolvimento profissional dos colaboradores é responsabilidade do RH. Na verdade, não é uma mera obrigação, mas representa uma estratégia de diferenciação que traz diversas vantagens competitivas.

Para sintetizar esses benefícios, trouxemos este post explicando os principais pontos positivos para a empresa quando a gestão decide investir em capacitação da equipe. A partir deles, outros ganhos aparecem. Ficou curioso? Venha conosco e descubra!

Maior engajamento das equipes

Antes de qualquer coisa, não podemos dispensar o fator humano dos programas de desenvolvimento. Além das vantagens que a empresa recebe, ela demonstra também que se preocupa com o colaborador, já que direciona recursos para o crescimento profissional dele.

O ser humano tem a necessidade de ser querido e reconhecido como parte do grupo. Por isso, ao investir na capacitação da equipe — e planejá-la para ter essa roupagem —, a empresa desperta esse pertencimento. O colaborador se sente cuidado.

A melhoria no clima organizacional ocorre nesse momento: menos ações são necessárias para engajar o time com as metas da empresa, já que ele está envolvido numa relação mútua de consideração.

Redução de custos operacionais

Capacitar colaboradores, além de abordar as competências, diz respeito ao desenvolvimento de habilidades específicas para o desempenho das funções deles. Dessa forma, a equipe se torna apta a atuar sem erros, confusões ou desperdícios. Nessa sintonia, evita-se o retrabalho, e o tempo é aproveitado com o que realmente gera resultado.

Além disso, com pessoas bem preparadas e envolvidas nos processos de crescimento profissional, acontece a redução da rotatividade. Isso melhora os indicadores do RH, que se torna capaz de identificar gargalos e dificuldades comuns ao aplicar um treinamento ou programa de capacitação para resolver uma questão específica, por exemplo.

Melhoria da qualidade das entregas

Os processos estão alinhados e mapeados, cada um sabe o que fazer e quando entrar em ação. Essa é uma equipe autogerenciável. Some esse cenário à liderança e inteligência emocional, entre outras competências, e temos aí um excelente caminho: a qualidade elevada e a entrega de valor em todos os projetos e propostas.

Evidentemente, essa situação melhora os resultados da organização, pois é a equipe que move os números. O reflexo de uma equipe preparada, capacitada e em constante processo de crescimento se vê na satisfação do cliente. Um trabalho bem-feito sempre é reconhecido. Isso vai aparecer tanto nas finanças quanto no posicionamento da marca.

Planeje, aplique, mensure e repita

Embora seja um processo dinâmico e que envolve pessoas, o planejamento não pode ficar de fora do desenvolvimento de colaboradores. Primeiramente, defina bem os propósitos por trás de cada ação.

Você quer formar sucessores, aflorar skills específicas, aprimorar determinado aspecto de uma função, encaminhar o plano de carreira? Seja objetivo.

A partir daí, é importante criar pilares sólidos para os processos. Qual método será utilizado para alcançar o resultado alçado? Há diversas formas de alcançar as metas. Considere os recursos disponíveis, a cultura da empresa e, é claro, o perfil da equipe de trabalho.

Não se esqueça também de medir os resultados, a fim de aprimorar constantemente as atividades. Testar modelos de desenvolvimento profissional também é válido.

Fique por dentro das melhores práticas do mercado, planeje, aplique e meça. Falando nisso, o que você sabe a respeito dos cursos livres? Veja como eles atuam na capacitação!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *