Mulher feliz no trabalho, sentada em uma mesa.

Maximizando a felicidade no trabalho: 5 dicas e práticas

Felicidade no trabalho parece um conceito relativamente novo, mas a realidade é que estamos desenvolvendo essa ideia desde os tempos em que a teoria da administração focada em recursos humanos surgiu.

O tema está se tornando cada vez mais importante à medida que a qualidade de vida está no foco das pessoas. Quer saber mais? Vem com a gente!

5 dicas para aumentar a felicidade no trabalho

Quando pensamos em felicidade de vida no trabalho, o primeiríssimo passo é analisar o clima organizacional da empresa. A partir daí, faça um diagnóstico do que pode melhorar e quais são as ações que serão tomadas dentro desse contexto.

Faça isso periodicamente e aplique as 5 dicas a seguir para aumentar a felicidade no trabalho!

1. Descubra a motivação das pessoas

Felicidade é um fator supersubjetivo, ou seja, significa coisas diferentes para pessoas diferentes. Por isso, a gestão de pessoas tem que entender o que é importante para cada indivíduo na organização, elencando os pontos comuns.

Para fazer isso, além de perguntar diretamente para os colaboradores, em pesquisas estruturadas, estude sobre tipos de personalidade, perfis comportamentais, teorias de motivação, sinais de esgotamento, mensuração e aumento da produtividade etc.

2. Invista em qualidade de vida

Qualidade de vida é um fator medido pela própria OMS (Organização Mundial da Saúde). Então, a gestão dos recursos humanos precisa usar esses conhecimentos para prover o básico para os colaboradores, como tempo de descanso, alimentação de qualidade etc.

Também é fundamental garantir a segurança psicológica. Além disso, jornadas flexíveis, planos de carreira, programas de incentivo, momentos de descontração, programas de exercícios físicos e outros benefícios também ajudam nesse quesito. É preciso investir!

3. Incentive a liberdade criativa

Incentivar a liberdade criativa dos colaboradores é sobre oferecer um ambiente que seja seguro, tranquilo e lúdico. Considerar a criatividade da equipe e abrir esse espaço também é uma forma de reconhecer as ideias e as pessoas. Isso faz toda a diferença para a felicidade no trabalho!

4. Dê e receba feedbacks

Falando em valorizar, parte da realização das pessoas está relacionada ao reconhecimento. Então, uma cultura de feedbacks é fundamental. Além de conversas e direcionamentos focados em desenvolvimento, reconhecer publicamente e pensar também em como comemorar os bons resultados, mimando a equipe.

5. Use métricas de qualidade de vida no trabalho

Não podemos falar em gestão sem falar de acompanhar resultados. Analisou o cenário, definiu a estratégia e colocou o plano em prática? Maravilha! Dentro do planejamento devem haver indicadores e métricas para saber o quanto o plano está dando certo. Veja alguns indicadores que medem a qualidade de vida no trabalho:

  • clima organizacional;
  • percepção da empresa como bom lugar para trabalhar;
  • satisfação com a remuneração;
  • programa de benefícios;
  • relacionamento com lideranças;
  • relacionamento com colegas de trabalho;
  • percepção do espaço físico;
  • recursos para executar as funções;
  • oportunidades de crescimento;
  • equilíbrio entre vida profissional e social etc.

A ideia é focar no bem-estar econômico, psicológico, de saúde, entre outros aspectos importantes. Você pode adaptar os indicadores de qualidade de vida usados pela OMS para medir a felicidade no trabalho, medindo o grau de capacitação dos colaboradores, o quanto eles têm aprendido e se desenvolvido, se os salários são suficientes etc.

Por aqui, sempre tratamos assuntos importantes como esse para aprimorar a sua gestão de RH: assine a newsletter e acesse os melhores conteúdos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *