como planejar o home office

A hora do home office e home based

O home office e o home based são duas modalidades de trabalho cada dia mais comuns e que apresentam uma série de benefícios para empresas e profissionais. Contudo, alguns cuidados precisam ser levados em consideração para que o desempenho das equipes seja afetado positivamente e a empresa tenha resultados esperados.

Conversamos com profissionais de RH e Atendimento que tiveram experiências bem sucedidas na implantação destes modelos e reunimos alguns pontos importantes. Confira.

A diferença entre home office e based

Os dois modelos envolvem a execução de tarefas em casa. A diferença básica entre as duas modalidades é que no home office o colaborador passa parte do tempo em casa e parte do tempo na empresa. No caso do home based, toda a atividade é transferida para a moradia do empregado, onde uma estação de trabalho é preparada para que ele trabalhe remotamente.

Cuidados na implantação do projeto

O superintendente de Atendimento da Dacasa Financeira, Rogério Gomes, e a Gerente de Recursos Humanos da Autoglass têm projetos bem sucedidos de home office e home based. Conversamos com eles e reunimos alguns pontos de atenção que devem ser observados na hora de implantar um projeto.

Lideranças engajadas

Antes de qualquer coisa, é fundamental apresentar a ideia para as lideranças da empresa e saber qual é o posicionamento desses líderes. Zamara Ribeiro alerta que os gestores precisam estar confortáveis com o modelo de trabalho remoto e compreender os benefícios e a manutenção do controle e dos resultados.

Perfil do colaborador

Não é todo profissional que se enquadra na atividade de trabalho remoto. Além da disponibilidade, é importante fazer uma avaliação global da postura deste profissional. Jaciara Pinheiro pontua que o recrutamento para estas posições exige um cuidado até mais aprofundado que o tradicional. “Este profissional vai atuar à distância e, por isso mesmo, necessita de habilidades que permitam que ele mantenha o bom desempenho. Além das capacidades técnicas, o lado comportamental precisa receber muita atenção”.

Estrutura e tecnologia

Para que o colaborador produza em casa é necessário que toda a estrutura para a realização da sua atividade esteja disponível e em conformidade com a legislação trabalhista vigente. Isso inclui mobiliário ergonômico, iluminação, material de trabalho e até alimentação. Rogério Gomes ressalta que ter um bom sistema de gerenciamento é fundamental. “Tudo precisa ser medido e monitorado em tempo real. O colaborador estará remoto, mas precisa se sentir conectado com o negócio e ter todo o suporte para prestar os serviços com total confiança e segurança”.

Local apropriado

Outro aspecto fundamental é fazer uma avaliação criteriosa da localidade onde o colaborador vai atuar. O excesso de barulho, por exemplo, pode ser um fator limitador para a realização da atividade. “Temos o caso de uma colaboradora que morava em um apartamento ao lado do parque infantil do condomínio e optou por mudar de unidade para se enquadrar ao perfil”, relata Zamara.

Compreensão da família

Ao transferir a atividade profissional para dentro de casa, é importante contar com o envolvimento de toda a família do colaborador no sentido de respeitar o “ambiente profissional” que se instala ali e que vai alterar a rotina do lar. Sobre este aspecto, Rogério é taxativo. “Se a família não apoiar, nada feito”.

Projeto piloto

Comece pequeno e aprenda com os erros. Por se tratar de uma cultura que precisa ser desenvolvida, a melhor maneira de aprender é na prática. Para isso, Zamara sugere que seja implantado um projeto piloto que sirva de modelo para a expansão. “Erre bastante e aprenda com esses erros. Revise todo o processo e crie um padrão que possa ser replicado”. Ela lembra ainda que os próprios colaboradores que passarem pelo processo devem ser os multiplicadores e motivadores da ideia.

Benefícios do home office e home based

Confira alguns dos vários benefícios que o modelo de home office e home based podem proporcionar para empresa e colaboradores

  • Modelo sustentável
  • Redução da rotatividade
  • Queda nas taxas de absenteísmo
  • Fim das limitações geográficas
  • Redução de custos
  • Eliminação de tempo perdido com deslocamento
  • Flexibilidade na jornada
  • Inclusão social – idosos, aposentados e pessoas com deficiência
  • Mais satisfação e melhores resultados

A prática do home office e do home based é uma realidade. Mas é importante observar alguns aspectos. Confira o que profissionais que tiveram sucesso na implantação destes modelos de trabalho têm a dizer:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *