O papel da liderança: líderes precisam estar engajado e treinados

Papel de liderança: por que os líderes precisam estar treinados e engajados?

Exercer o papel de liderança dentro da empresa está diretamente relacionado ao poder de conduzir e influenciar a equipe a realizar as metas e objetivos estabelecidos da melhor maneira possível. Para isso, os líderes precisam investir tempo no relacionamento com cada funcionário e dar feedbacks frequentes, entre outras ações.

Prova disso é o resultado de um estudo da Gallup, uma empresa de pesquisa norte-americana. Segundo os dados colhidos, o líder tem influência de até 70% no engajamento dos funcionários com o negócio. No entanto, 70% dos gestores de equipe não estão preparados para isso.

Apesar do número alarmante, essa realidade pode mudar se mais líderes receberem treinamento adequado e estiverem engajados em suas funções. A seguir, você descobrirá qual é a importância dessas atitudes na prática e como elas podem trazer melhores resultados para qualquer negócio. Confira!

Saiba mais sobre o engajamento: a chave para desempenhar o papel de liderança

O líder engajado se envolve de forma ativa e alinhada à intenção, princípios e metas da empresa, entendendo e acreditando fortemente no propósito corporativo. Com essas características, fica muito mais fácil influenciar positivamente os outros membros do time. Afinal, um gestor comprometido se torna um exemplo a ser seguido, inspirando colaboradores e alimentando a cultura do desempenho.

Outra atitude importante do líder engajado é a preocupação com o relacionamento e o desenvolvimento da sua equipe. Valorizar as interações pessoais, ser flexível e demonstrar entusiasmo com as conquistas dos funcionários são ações essenciais para manter a equipe motivada e, consequentemente, mais produtiva.

Também é fundamental formar sucessores, ou seja, capacitar outros profissionais para exercerem o papel de liderança no futuro. Neste sentido, a empresa pavimenta a sua evolução e só tem a ganhar, já que passa a mapear colaboradores habilitados para cargos de gestão. Além disso, o funcionário evolui e ganha novas perspectivas de carreira e o próprio gestor ganha o apoio de alguém de confiança para engajar ainda mais a equipe.

Conheça as características de um bom líder

Um bom líder não aparece por acaso. Ele tem alguns traços marcantes que o diferenciam dos demais — tanto em sua vida pessoal quanto na profissional. Conheça abaixo algumas dessas características.

Ter boa comunicação

A comunicação tem um papel fundamental na boa liderança. É essencial que o líder tenha a habilidade de saber se comunicar. A liderança e comunicação devem caminhar lado a lado para uma boa gestão.

Essa habilidade é indispensável para que o líder expresse com clareza suas ideias e também mantenha um relacionamento de reciprocidade com seus colaboradores. Assim, é possível que todos o compreendam e sejam compreendidos.

Também, uma boa comunicação auxilia os funcionários a entenderem melhor as transformações que podem vir. Os líderes de empresa são considerados pelos colaboradores como uma figura unificadora e o recebimento dessa comunicação do gestor é uma espécie de garantia.

Ter empatia

Essa é uma das competências que todo gestor tem que ter. Ela é considerada fundamental no ambiente de trabalho, para conquistar um melhor relacionamento com seu colaborador. Empatia quer dizer perceber o outro, até mesmo sem que ele precise dizer algo. Ou seja, o líder consegue identificar, sentir e compreender a outra pessoa.

Dessa maneira, a empatia permite que você saiba se as pessoas que você tenta alcançar são realmente atingidas. Também, permite prever o efeito que suas ações e tomadas de decisão terão sobre o público principal e criar estratégias fortes. Sem empatia, você não pode formar uma equipe ou nutrir uma nova geração de líderes.

Influenciar positivamente a equipe

A liderança não é tarefa fácil. Contudo, a maneira com que ela é dirigida influenciará o desenvolvimento e o comportamento da equipe. Nesse contexto, é indispensável que um bom líder assuma o papel de grande motivador e espelho para seus colaboradores.

Por meio de suas atitudes e decisões dentro da empresa, ele arca com as responsabilidades junto aos seus liderados. O líder comprometido sabe integrar todos os seus colaboradores, pois estes sabem que ele está sempre disposto a solucionar os problemas e sabe ouvir suas sugestões e propostas. As ações do líder contribuem para tornar o clima na organização mais agradável e ameno.

Assumir a responsabilidade

Mencionamos que um bom líder é exemplo para sua equipe — afinal, o “faça o que falo, mas não faça o que eu faço” não funciona. Significa também saber que ele é o responsável por qualquer situação ou problema que aconteça na equipe.

O líder precisa sempre estar consciente que as ações de sua equipe precisam ser previstas ou evitadas — quando forem negativas. É imprescindível que o gestor assuma de frente sua função e procure dissolver obstáculos que seus liderados encontrem pela frente. Essa atitude contribui e abre novos caminhos para o sucesso de seu time.

Saber delegar as tarefas

Alguns líderes tradicionais são centralizadores e têm dificuldade em delegar tarefas. Contudo, o líder atual sabe envolver sua equipe, reconhecendo as competências e os méritos de cada um de seus liderados e cobrando resultados de forma justa. O líder que delega de maneira eficiente permite que os seus colaboradores cresçam, tornando-se profissionais melhores e mais produtivos.

Obviamente, quando um bom trabalho for devolvido, reconheça e recompense o esforço. Como líder, você deve elogiar os membros de sua equipe toda vez que ficar impressionado com o resultado da delegação de tarefa. Esse esforço de sua parte ajudará bastante a aumentar a autoconfiança e a eficiência dos membros da equipe, os quais serão aprimorados na próxima tarefa. Assim, todos vencem.

Inspirar uma identidade coletiva

É o desejo de todo colaborador se identificar com sua organização, principalmente se estiver realizado e gostar do ambiente de trabalho. Se os líderes empresariais oferecem uma boa estrutura para as tarefas, eles também deverão inspirar uma identidade coletiva dentro da empresa.

Isso acontece se os profissionais da organização dividem experiências e interesses em comum. Isso vai além de inserir uma cultura organizacional particular a essa companhia. O que foi mencionado se torna capaz devido ao período que os funcionários passam uns com os outros na organização. Dessa forma, o gestor precisa atuar de forma positiva para conseguirem engajar sua equipe.

Veja a importância dos treinamentos para preparar os colaboradores

Nem todo profissional que chega a um cargo de gestão está realmente preparado para ele. A boa notícia é que liderança é algo que pode ser ensinado e aprendido. Por isso, o investimento na capacitação de líderes deve ser uma preocupação constante. A atividade de mapear e desenvolver esses profissionais está diretamente relacionada à perenidade do negócio.

Existem diversos tipos de treinamentos, desde workshops de comunicação oral e escrita até cursos voltados para o desenvolvimento de habilidades interpessoais, que tornam o profissional mais motivado. A maior vantagem desses cursos é que a empresa não investe apenas no desenvolvimento do gestor, mas também de todos os profissionais que ele influenciará com suas novas habilidades.

Por isso, uma política de investimentos contínuos nesse tipo de treinamento é essencial para melhorar os resultados. O treinamento é a chave para o sucesso de uma organização. Ele tem como objetivo promover a capacitação dos profissionais, tornando-os mais alinhados com os valores, visão e missão da companhia e aperfeiçoando habilidades que correspondam às expectativas da empresa.

Conheça outras formas de preparar colaboradores para liderança dentro da empresa

Muitas vezes pode parecer uma tarefa bem difícil capacitar outros profissionais para ser líder em sua empresa. Por isso, separamos algumas maneiras eficientes para você obter sucesso quando iniciar o seu projeto.

Delegar tarefas desafiadoras para o funcionário

Essa atitude faz com que o colaborador se sinta mais motivado e veja que é capaz de vencer desafios. Contudo, para começar, assegure-se de que ele entendeu claramente a tarefa que foi designada. Caso contrário, a situação pode desmotivá-lo e afetar a confiança.

Como líderes, delegar é importante porque você não pode — e não deveria — fazer tudo sozinho. A delegação capacita sua equipe, cria confiança e auxilia no desenvolvimento profissional. Já para os líderes, ajuda a aprender a identificar quem é mais adequado para lidar com tarefas ou projetos.

Incentivar o autoconhecimento

O autoconhecimento contribui para nossa vida pessoal e profissional. Conhecer nossas reais capacidades, sentimentos, inclinações, saber quais as áreas de melhor atuação e em quais podemos e devemos nos desenvolver nos ajuda a alcançar resultados mais satisfatórios.

Assim, você pode aumentar a produtividade e eficiência por meio da base do autoconhecimento da empresa. Para isso, pode ser utilizado o software da intranet social como uma solução de gerenciamento de conhecimento, o líder pode capturar informações, utilizar dados e informações e incentivar os profissionais a fazê-lo também.

Dar feedbacks constantes

O feedback, tanto o positivo quanto o corretivo, auxilia o colaborador a obter informações sobre o seu desempenho, conduta ou ação executada. Assim, ele contribui para estimular ou reorientar comportamentos futuros.

Dessa forma, as avaliações de desempenho dos funcionários são um feedback especialmente importante para os líderes e os funcionários que se reportam a eles. Pelo menos uma avaliação semestral de desempenho fornece uma oportunidade para supervisores e funcionários se envolverem em um diálogo bidirecional sobre pontos fortes e fracos dos funcionários.

diagnóstico organizacional

Saiba os perigos dos líderes despreparados

Um erro muito comum dentro das empresas é promover profissionais para cargos de liderança apenas considerando suas competências técnicas, sem prepará-los adequadamente para serem bons gestores.

Com isso, acontecem muitos casos de líderes desestimulando equipes em vez de extrair o melhor delas, atuando com rigidez excessiva, atitudes autoritárias e falta de sensibilidade nas interações com os funcionários.

As consequências disso não são nada animadoras. O ambiente de trabalho se torna tóxico, fazendo com que os funcionários saiam em busca de outras oportunidades. A rotatividade cresce e atrapalha projetos longos, além de aumentar gastos com novos processos seletivos.

Os colaboradores que permanecem na empresa ficam extremamente desmotivados e infelizes, reduzindo o engajamento com os projetos e objetivos da organização. Desse modo, o rendimento da equipe diminui e gera resultados muito abaixo do esperado.

Por fim, ao focar no engajamento, é essencial saber quem na empresa está realmente pronto e quem pode necessitar de auxílio para avançar. Em períodos como esse, um certo padrão de comportamento se afirma em diversas organizações. Geralmente, os líderes que geram estratégias projetam o futuro, focados nas tendências designadas para alguns meses. Sim, eles olham para o prazo dos próximos meses.

Já os funcionários operam principalmente no presente, concentrados em construir as principais táticas do cotidiano. Muitos colaboradores acham complicado modificar para a mentalidade da estratégia futura e precisam de tempo para processar. Por isso, é tão importante líderes treinados e engajados para entender cada contexto das equipes.

Gostou deste texto sobre liderança dentro da empresa? Então, aproveite para ampliar seus conhecimentos ao conhecer nosso Guia completo de treinamento para a liderança. Baixe agora!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *