tipos de treinamentos para empresas

5 tipos de treinamentos para empresas e como aplicá-los

Mais que um benefício para o colaborador, desenvolver os profissionais é uma maneira de impulsionar o negócio. Os vários tipos de treinamentos para empresas são indispensáveis para engajar, aumentar a produtividade, impulsionando o crescimento contínuo de ambas as partes.

As variadas possibilidades podem confundir as organizações na hora de planejar os programas de treinamento e desenvolvimento. Pensando nisso, o foco deste conteúdo é abordar quais são os principais treinamentos corporativos e como aplicá-los.

A importância dos treinamentos

Com um mercado dinâmico, os variados tipos de treinamento para empresas possibilitam um desenvolvimento mais amplo em direção aos objetivos do negócio.

Isso ocorre porque, a interatividade entre distintas estratégias educacionais não somente produz mais engajamento, mas também amplia as chances de ver indicadores de sucesso.

Na prática, por exemplo, a organização tem a possibilidade de abordar temas para o desenvolvimento das habilidades técnicas, mas também em habilidades comportamentais. Como resultado, desenvolverá seus profissionais por completo.

Além disso, considerando as diferentes metodologias de treinamento, a companhia pode escolher o formato que poderá gerar resultados melhores e a retenção dos colaboradores, como treinamentos síncronos e assíncronos.

Tipos de treinamentos para empresas

Os treinamentos para empresas constituem-se de aulas, teóricas e práticas, onde o objetivo é preparar e aprimorar as habilidades dos profissionais.

Deste modo, conhecer as diversas maneiras de capacitar pessoas é essencial, principalmente para alcançar as ferramentas de capacitação necessárias para desenvolver as estratégias.

Nessa perspectiva, trouxemos 5 tipos de treinamentos para empresas, que você confere a seguir:

1. Treinamento de lideranças

Utilizando microlearning, torna-se possível aperfeiçoar programas de treinamentos para liderança corporativa da seguinte forma:

  • Os conteúdos abordados nas trilhas de aprendizagem precisam ser curtos e objetivos, proporcionando um ensino eficiente;
  • O treinamento deve conter módulos ilustrados e personalizados para uma visão ampla do conteúdo, além do uso de exemplos práticos para referir conceitos e dar suporte ao aprendizado;
  • A partir deste treinamento, os líderes corporativos poderão aplicar os conteúdos de mentoria em seus times, otimizando a performance dos profissionais e ampliando o nível organizacional da empresa. 

2. Gamificação

A gamificação utiliza materiais e conceitos de jogos durante o treinamento e desenvolvimento como sistema de recompensas ou de pontuação. Ou seja, os profissionais vão atingindo níveis mais altos à medida que atingem as metas definidas para as atividades, transmitindo uma sensação de evolução e conquista. 

Além disso, os treinamentos gamificados também contam com a criação de metas e feedbacks contínuos. Na prática, as vantagens dos treinamentos gamificados para empresa são:

  • Maior engajamento e motivação;
  • Mais dinâmica e dinâmica durante o aprendizado;
  • Feedbacks durante o processo;
  • Participação mais ativa de todos os profissionais envolvidos;
  • Desenvolvimento do relacionamento entre os funcionários;
  • Desenvolvimento de capacidades socioemocionais;
  • Estímulo ao pensamento estratégico na resolução de problemas.

3. Aprendizagem sob demanda

Como o foco deste tipo de treinamento é uma capacitação personalizada, simples e eficaz, o processo deve ocorrer da seguinte forma:

  • Os conteúdos abordados nos materiais devem ser apresentados utilizando exemplos relacionáveis, ao mesmo tempo que mostra o desempenho de cada participante, a fim de impulsionar o aprendizado;
  • Para estabelecer uma experiência imersiva, é indicado utilizar vídeos e atividades baseadas na realidade do profissional, buscando um layout minimalista e que seja intuitivo;
  • A aprendizagem sob demanda pode gerar um aumento da confiança das equipes e incentivá-las a colocar os conhecimentos adquiridos em prática. 

4. Treinamento de integração

O treinamento de integração é o primeiro treinamento corporativo de um novo colaborador numa empresa. Ou seja, é um processo que pode durar dias, semanas ou meses apresentando as demandas e rotinas que esse profissional terá contado.

Inicialmente, é comum que ocorra uma imersão na cultura organizacional, valores e processos corporativos. Embora haja outros assuntos importantes, como a apresentação do ambiente laboral, do negócio e da equipe — para que o colaborador se sinta acolhido.

Sendo assim, essa é uma maneira de acelerar a curva de aprendizado de um novo profissional que está iniciando na companhia, adaptando-as para atuar em suas funções.

5. Treinamento comportamental

Pegando como exemplo um profissional t-shaped — especialista em uma área, mas que tem conhecimento multidisciplinar — é importante acabar com a limitação de ter apenas conhecimentos técnicos.

Além de capacidades de Hard Skills, os profissionais devem também desenvolver suas Soft Skills, que se referem às competências pessoais e interpessoais.

Portanto, são exemplos de treinamentos comportamentais todos aqueles que têm o objetivo de melhorar ou desenvolver habilidades emocionais e comportamentais, relacionais, como liderança, oratória e comunicação.

Basta pensar, por exemplo, no seguinte cenário: um profissional de tecnologia é um desenvolvedor sênior muito experiente, mas que quer atuar na função de tech lead.

Além de todas as hard skills que ele já tem, também será necessário desenvolver a sua comunicação, o planejamento, a delegação de tarefas.

Como saber qual tipo de treinamento escolher

Existem alguns fatores que precisam ser considerados na hora de planejar a estratégia de um treinamento como: as necessidades do negócio e qual formato é o mais adequado.

Por isso, o primeiro passo é compreender qual é a realidade atual dos profissionais e, posteriormente, qual tipo de conhecimento é mais urgente para esses colaboradores.

Para compreender o cenário, é indispensável realizar uma pesquisa interna com os próprios empregados e com os gestores de cada área. Desse modo, será possível perceber padrões e tomar a decisão baseado em dados reais, e não em achismo.

Depois, pense sobre as seguintes questões:

  • Quem será o especialista responsável por ministrar o treinamento;
  • Como será aplicado esse treinamento, online ou presencial;
  • Qual será a proporção do treinamento: palestra, workshop ou um evento maior, como uma convenção;
  • Quem é o público-alvo do treinamento;
  • Como os resultados esperados do treinamento serão mensurados.

Após o treinamento ocorrer, uma boa opção é aplicar uma pesquisa de satisfação. Assim, a equipe responsável pelo capital humano será capaz de mapear os pontos fortes deste evento e os pontos de melhoria para os próximos.

Lembre-se de que independentemente dos tipos de treinamentos para empresas escolhidos, cada um exigirá esforços únicos, considerando as diferenças dos programas e dos públicos.

Conte com a Rhopen para ajudar você a compor treinamentos personalizados. Entre em contato conosco e conheça melhor os nossos serviços.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *